mormon.org Brasil

Oi, eu sou Tim

  • Tim Hurst
  • Tim Hurst
  • Tim Hurst
  • Tim Hurst
  • Tim Hurst
  • Tim Hurst
  • Tim Hurst
  • Tim Hurst

Sobre mim

Sou marido e pai. Gosto de correr e participei de diversas maratonas. Estabeleci a meta de correr 50 maratonas, uma em cada Estado dos Estados Unidos. Isso exige muito treino e muita dedicação. Também gosto de ensinar karatê para as crianças da vizinhança. Ganhei minha faixa preta quando jovem e já ensinei centenas de alunos ao longo dos últimos 35 anos. Vários deles ganharam sua faixa preta das minhas mãos. O que torna incomum esse fato é que tenho só uma perna. Há uns 30 anos, sofri um terrível acidente de motocicleta e passei um ano no hospital. Corri risco de vida no início e minha recuperação não parecia muito positiva. Os élderes da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias me deram muitas bênçãos de consolo e cura. Quando recebi alta do hospital, ainda usava cadeira de rodas e não conseguia andar. Não tinha certeza se voltaria a caminhar por mim mesmo ou não. Após vários meses de tratamento em casa, minha recuperação progrediu muito e recebi uma perna artificial. Nunca usei minha amputação como desculpa para deixar de fazer algo. Sei que com fé em Jesus Cristo e uma atitude positiva qualquer pessoa pode realizar qualquer coisa que se dispuser a fazer.

Por que sou mórmon?

Sou converso na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Fui criado como batista do sul dos Estados Unidos. Ia à igreja todos os domingos e lia a Bíblia todos os dias. Com frequência, tinha dúvidas sobre questões espirituais que nunca pareciam ser completamente respondidas. Uma dúvida, por exemplo, era: “Se um membro da família morrer, eu o reconhecerei no céu e ali ainda seremos uma família?” “O que acontece com as criancinhas ou com as pessoas que não conhecem os ensinamentos de Jesus quando elas morrem? Elas são mandadas para o inferno ou há esperança para elas?” Conversei com meu pastor, mas me foi dito que não era para sabermos a resposta para essas perguntas. Enquanto lia a Bíblia, certa noite, cheguei a uma passagem no livro de Tiago. Ela dizia: “Se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada”. Tiago 1:5. Assim, decidi orar a Deus para obter respostas. Declarei minha ignorância perante Deus e Lhe pedi que me mostrasse a resposta as muitas dúvidas que tinha. Então, coloquei a Bíblia na estante e assumi o compromisso de não a ler mais até que minha oração fosse respondida. Logo no dia seguinte, meu chefe, que é um bom amigo meu, me convidou para jantar em sua casa depois do trabalho. Fui até a casa dele e estava sentado no sofá enquanto ele e a mulher dele estavam na cozinha terminando os preparativos para o jantar quando olhei para baixo e vi um Livro de Mórmon sobre a mesa. Nunca tinha visto um antes, por isso o peguei e comecei a folheá-lo. Li que um profeta americano moderno chamado Joseph Smith tinha visto o Pai Celestial e Jesus Cristo com seus próprios olhos e conversado com Eles e recebido instruções Deles. Entre as coisas que lhe disseram foi onde encontrar umas placas feitas de ouro com a história de um povo antigo gravada nelas. Fiquei admirado com o que li. Meu amigo foi chamar-me para jantar e pedi-lhe que me contasse mais sobre o livro fascinante, mas em vez disso ele me ofereceu o livro e disse que voltasse para casa e o lesse por mim mesmo. Isso mudou minha vida.

Histórias Pessoais

O que você tem feito com sucesso para proteger sua família de influências indesejadas?

Sempre incentivei meus filhos a ver programas de TV, filmes e ouvir músicas que não tenham linguagem ofensiva ou temas imorais. Não permitimos filmes com classificação restrita em casa. Sempre procurei ser o melhor exemplo possível para minha família. Nunca fumei nem bebi e sempre mantive um estilo de vida saudável. Certa vez, encontrei uma bolsa de mulher quando estávamos de férias. A bolsa estava aberta e vimos que continha centenas ou até milhares de dólares. Usei aquilo como oportunidade de ensino e imediatamente levei minha família até o posto de segurança e entreguei a bolsa para que meus filhos tivessem noção do que uma pessoa honesta deve fazer. A proprietária da bolsa chegou 15 minutos depois. Ainda estávamos preenchendo o boletim quando ela chegou para ver se alguém tinha achado uma bolsa. Ela ficou tão feliz quando descobriu que havíamos devolvido a bolsa com todo o dinheiro dentro que começou a chorar. Ela disse que tinha economizado o ano inteiro para que a família saísse de férias e ficou doente de preocupação ao ver que a havia esquecido dentro de um veículo. Agradeceu a todos nós por sermos honestos, e isso deixou uma impressão muito forte em todos os nossos filhos. No tocante a minha esposa, jamais lhe dei razões para ter ciúmes. Nunca vi pornografia e não permito isso em casa. Eu a trato com respeito e sempre cuido para que meus filhos façam o mesmo. Nosso lar é um lugar divertido e descontraído onde todos se sentem relaxados e confortáveis. Tenho muitos quadros nas paredes que retratam o Salvador Jesus Cristo e Seus ensinamentos. Amo minha família e a considero a parte mais importante da minha vida.

Como vivo minha fé

Desde que me tornei membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, tenho procurado assistir às reuniões de domingo na Igreja todas as semanas. É claro que houve momentos em minha vida em que eu estava doente demais para ir à Igreja, mas em vez disso os membros iam me visitar no hospital ou em casa. Minha mulher e eu lemos as escrituras e fazemos nossas orações em família e individuais todos os dias. Quando nossos filhos eram menores e ainda moravam conosco, estudávamos as escrituras regularmente com eles. Além da adoração de domingo, minha família também se reúne na noite de segunda-feira para compartilhar ensinamentos espirituais e histórias. Visito meus vizinhos pelo menos uma vez por mês e procuro prestar serviço sempre que possível aos necessitados. Os mórmons são um povo que constrói templos, e minha mulher e eu procuramos ir ao templo uma ou duas vezes por mês. Procuro vestir-me de modo recatado e cuido para não usar linguagem ofensiva. Abstenho-me de bebidas alcoólicas e não uso nenhum tipo de fumo. Sempre me esforço ao máximo para ser um exemplo para minha família e meus vizinhos de como um bom cristão deve se comportar.