mormon.org Brasil

Oi, eu sou Steve

  • Steve Brouggy
  • Steve Brouggy
  • Steve Brouggy
  • Steve Brouggy
  • Steve Brouggy
  • Steve Brouggy
  • Steve Brouggy
  • Steve Brouggy

Sobre mim

Nasci numa família comum da década de 60 composta por mãe, pai, um irmão e uma irmã. Tive uma vida feliz e inocente até aproximadamente os dez anos. Por razões que eu não sabia na época, meu pai seguiu sua própria vida um pouco antes de eu completar 11 anos, abandonando minha mãe com três crianças, um futuro incerto e um coração ferido. Os cinco ou seis anos subsequentes foram extremamente difíceis para toda minha família. Cada um seguia seus próprios caminhos com bem pouco daquele vínculo amoroso que eu lembrava que existia quando eu era menor. Passados uns dois anos, descobri a paixão da minha vida que acabaria conduzindo o meu futuro (…) motos. Menos de 12 meses depois de comprar minha primeira moto, vi-me numa pista de corrida e achei ser o início de uma carreira profissional como piloto. Infelizmente isso nunca aconteceu, então segui o velho ditado “os que não conseguem fazer, ensinam”, o que me levou a várias partes do mundo ensinando literalmente milhares de motociclistas como correr cada vez mais rápido. Apesar de me considerar um homem de muita sorte por poder fazer o que amo em meu trabalho, minha maior alegria vem da família. Sou abençoado por ter-me casado com minha melhor amiga e alma gêmea e por termos três filhos maravilhosos. Minhas experiências de vida me mostraram que, independente da circunstância do seu nascimento ou da situação que você se encontra ao crescer, você tem o poder de mudar qualquer coisa. Se você deseja algo na vida, precisa apenas decidir e fazer.

Por que sou mórmon?

Como creio que aconteça com todas as pessoas, minha criação e as experiências que tive quando jovem, ensinaram-me muito. Apesar de não ter nascido mórmon ou com qualquer outra crença religiosa, sempre tive um forte senso do certo e errado desde criança. Depois de fracassar na carreira de motociclismo e em meu primeiro casamento, conheci uma garota maravilhosa, alegre e divertida chamada Karen. Ela nasceu mórmon, mas tinha sido menos ativa na Igreja a maior parte de sua vida. Após alguns meses começamos a gostar um do outro e o que começara como uma amizade tornou-se atração e por fim, amor. Embora não quiséssemos nos envolver numa relação duradoura, acabamos ficando cada vez mais próximos um do outro. Nessa época, a Karen decidiu que antes de se comprometer em um relacionamento comigo, ela precisava ser sincera consigo mesma e realmente entender qual era a direção certa a tomar em sua vida. Ao refletir sozinha, ela percebeu que de fato acreditava em Jesus Cristo e que precisava seguir Seu caminho antes de qualquer coisa. Se eu ia acompanhá-la, dependia apenas de mim. Fiquei confuso e incomodado. Lá estava uma pessoa que eu amava e que estava seguindo um caminho bem diferente e que eu realmente não entendia. Minha única opção era entender para onde ela estava indo e depois decidir por mim mesmo se aquele era o caminho que eu também queria seguir na vida. Depois de alguns meses estudando, refletindo, analisando e orando, cheguei a minha própria conclusão sobre a veracidade do evangelho. Desde esse dia tenho usufruído das bênçãos de ter uma vida em harmonia com os ensinamentos do Senhor. Apesar de ainda termos muitos desafios, sei que Jesus Cristo está sempre ao meu lado. Embora passados vários anos muitas pessoas ainda duvidam sobre a razão por que me filiei à Igreja, eu simplesmente lhes digo que a verdade é a verdade, independente de como você a conhece. E não posso negar a veracidade do evangelho.

Como vivo minha fé

Tive a oportunidade de servir de várias formas na Igreja. Desde chamados para trabalhar com os rapazes, o programa missionário, professor de Doutrina do Evangelho na Escola Dominical até Líder de Grupo do Sumo Sacerdócio e com jovens adultos solteiros, sou muito abençoado por participar de muitas boas obras na Igreja. Fora da Igreja, sempre procuro viver de uma maneira que esteja de acordo com os princípios do evangelho. Em todos os meus negócios e como proprietário do meu próprio negócio, sempre procuro fazer as coisas da maneira certa. Quando a equipe, os clientes e patrocinadores, ou seja, todos sabem que você age de forma totalmente honesta e íntegra, você cria um relacionamento de confiança que durará a vida toda. Também tento ser um exemplo para meus filhos e ter sabedoria para criá-los. Espero que com o exemplo da minha fé em Jesus Cristo eu consiga ajudá-los a encontrar seus próprios caminhos neste mundo e a viver princípios corretos.