mormon.org Brasil

Oi, eu sou Ruth

  • Ruth Wise
  • Ruth Wise
  • Ruth Wise
  • Ruth Wise
  • Ruth Wise
  • Ruth Wise
  • Ruth Wise
  • Ruth Wise

Sobre mim

Sou da Bolívia. Moro nos Estados Unidos há nove anos. Sou casada e tenho quatro filhos; minha primeira filha, Ana, faleceu pouco depois do nascimento. Cursei a faculdade de Odontologia na Universidade de Minnesota e agora moro nos arredores de Washington DC.

Por que sou mórmon?

Filiei-me à Igreja aos dezessete anos em La Paz, na Bolívia, quando uma amiga de escola me convidou para a Igreja. Antes disso, sempre acreditei em Deus, mas sentia que havia mais a aprender a respeito Dele. Também tinha um profundo sentimento de que eu era especial, de que havia algo especial em mim (e em todos). Quando fui à igreja mórmon pela primeira vez, o professor da Escola Dominical da minha amiga nos disse que, como filhas de Deus, tínhamos um potencial divino e que poderíamos vir a ser semelhantes a nosso Pai Celestial por meio do sacrifício de Cristo. Aquele ensinamento condizia com o que meu coração sempre me dissera, e eu sabia que era verdade. Havia outra coisa que me atraiu a essa religião. A Bíblia diz “pelos seus frutos os conhecereis”. As pessoas que conheci na Igreja eram bondosas, amorosas e prestavam serviço sem esperar nada em troca. Senti-me atraída a isso; eu queria fazer parte daquela comunidade de pessoas com essas qualidades notáveis. Toda a minha vida procurei aprender e agir de acordo com o melhor que eu encontrava a meu redor, e ali tinha encontrado algo perfeito.

Histórias Pessoais

O que vocês estão fazendo para ajudar a fortalecer sua família e torná-la bem-sucedida?

Eu e meu marido escrevemos uma declaração de missão da família, há alguns anos, em nosso aniversário de casamento. Isso nos ajudou a elaborar um plano sobre como queremos que nossa família seja agora e no futuro. Podemos progredir um passo por vez e podemos encontrar força em princípios básicos, como a oração e o estudo regular das escrituras em família. Vamos à Igreja todos os domingos, onde tomamos o sacramento (semelhante à comunhão). Explicamos a nossos filhos por que o sacramento e a Igreja são importantes para nós. Também nos esforçamos para reservar uma noite para a família uma vez por semana, que chamamos na igreja mórmon de noite familiar. Todas as semanas, eu ou meu marido ensinamos uma breve lição sobre o evangelho, geralmente seguida de uma brincadeira ou um jogo. Às vezes, sentimos que as crianças não estão prestando atenção, mas depois, elas mencionam algo da lição e nos damos conta de que elas realmente estavam ouvindo. Acima de tudo, devemos tentar dar um bom exemplo. Quando nossos filhos nos veem ajudar outras pessoas, eles querem ajudar uns aos outros - os filhos sempre imitam os pais. Além da noite familiar, temos uma “sessão executiva” de vez em quando, na qual meu marido e eu conversamos sobre as necessidades da família (financeira, educacional, física, espiritual, etc.). Às vezes, as coisas parecem difíceis demais, mas tentamos descobrir os passos que podemos dar para chegar aonde queremos ir. Essas reuniões executivas também analisam nossos objetivos anteriores e conversamos sobre como estamos nos saindo e o que podemos fazer melhor. É uma obra em andamento.

Como vivo minha fé

Vivo minha fé estudando as escrituras e buscando orientação sobre como me tornar uma pessoa melhor, uma mãe melhor, uma dentista melhor, uma companheira melhor. Tento melhorar um passo por vez. Tudo tem seu próprio tempo e época. Às vezes, eu me concentro em minhas habilidades de Odontologia, às vezes, concentro-me em ser uma esposa melhor e às vezes, apenas me concentro em ser uma mulher melhor, em cuidar de mim. Também tento prestar serviço. Não importa se o beneficiário é mórmon ou não. Fico feliz em caminhar a segunda milha em prol de outra pessoa. Quando meu coração percebe que alguém está triste, gosto de lhes dar um abraço; quero que sintam que não estão sozinhos. Também vivo minha fé cuidando de meus pais. Eu os amo e respeito. Faço o mesmo com meus irmãos, que ajudaram a me criar.