mormon.org Brasil
Samuel Medeiros: decorador, paisagista, marido, rock, brasileiro, gaúcho, Mórmon.

Oi, eu sou Samuel Medeiros

Sobre mim

Amo criar coisas e estar em contato com a natureza. Um dos meus passatempos preferidos é viajar para conhecer lugares novos junto com minha esposa. Gosto de observar as paisagens e jardins onde quer que eu esteja. Sou formado Técnico em Paisagismo e isso me ajuda a cumprir com uma das minhas missões de tornar o mundo um lugar melhor para viver. Gosto muito de cantar e quando jovem até me arrisquei como vocalista de uma banda de rock com um grupo de amigos. Nossa banda se chamava Lama. Também sou dono de uma empresa de eventos e adoro estar em contato com as pessoas. Meu trabalho e dia a dia se resumem em ajudar as pessoas a tornar concretos sonhos que de outra maneira seriam apenas ideias dentro da mente. Sou o irmão mais velho de quatro filhos e amo muito minha família.

Por que sou mórmon?

Desde pequeno frequentei a Igreja de Jesus Cristo com meus pais e avós maternos. Cresci aprendendo princípios que moldaram meu caráter e me ajudaram a ser quem eu sou hoje. Quando eu tinha cerca de 17 anos, ao assistir uma reunião na Igreja, ouvi meu líder prestar seu testemunho sobre o profeta Joseph Smith e sobre a restauração da Igreja de Cristo na Terra. Perguntas como "E se tudo isso for uma grande mentira?" e "Como posso saber se essas coisas são verdadeiras?" começaram a encher minha mente de dúvidas. Me senti mal por estar pensando isso ali dentro da Igreja e percebi que precisava de uma vez por todas deixar de me basear nas crenças de meus pais e buscar meu próprio conhecimento destas coisas. Durante algumas semanas estas perguntas me assombraram a mente e foi um momento de muita meditação e oração. Mas parecia que não havia ninguém me ouvindo. Certo dia, estudei O Livro de Mórmon e me senti frustrado por não conseguir obter uma resposta concreta a respeito da veracidade destas coisas. Me ajoelhei ao pé da cama e ofereci a Deus uma oração. Expliquei a Ele tudo o que estava acontecendo e as dúvidas que eu tinha. Chorei e pedi "Pai, por favor! Me ajuda a obter uma resposta se todas estas coisas são verdadeiras!". Ouvi então uma voz que me disse claramente "Você já sabe que estas coisas são verdadeiras!". Tive um sentimento de paz e um calor profundo encheu o meu peito. Eu já sabia que aquelas coisas eram verdadeiras. Apenas precisava que o Senhor me desse a certeza e incentivo para que eu continuasse seguindo em frente. Sei que Deus, o Pai e meu irmão mais velho Jesus Cristo me amam. Sei que eles vivem e que estão atentos a cada ação nossa na vida. Sei que eles ouvem e respondem as nossas orações e que irão nos guiar pelo caminho correto se estivermos dispostos a segui-Los.

Histórias Pessoais

Qual dos ensinamentos do Salvador já influenciou você em sua vida?

Uma das coisas que mais me inspira na vida é o sentimento de amor que o Salvador Jesus Cristo tem por todas as pessoas. Certa época em minha vida, sentia que precisava aprender a demonstrar mais amor pelas pessoas ao meu redor. Não sabia exatamente como eu poderia fazê-lo, pois até o momento eu entendia que o amor era somente um sentimento forte e pungente de afeto por alguém. Busquei nas escrituras respostas sobre como Cristo demonstrava amor pelas pessoas e descobri que demonstrar amor por alguém vai muito além do que simplesmente dizer eu te amo. Cristo amou as pessoas ao ser paciente com elas. Cristo amou as pessoas fazendo o bem onde quer que andava. Amar alguém é não ter inveja ou não ser arrogante. Demonstro amor quando não me irrito facilmente com outra pessoa. Amar alguém significa deixar de lado os meus interesses para fazer as coisas que são de interesse do meu próximo. Aprendi que todas as coisas hão de falhar, mas a caridade é o puro amor de Cristo, e a caridade nunca falha. Sei que Cristo nos ama e sei que se eu amar as pessoas sentirei mais forte o amor que Ele tem por elas e por mim, me tornarei mais compreensivo e terei maior desejo de ajudar as pessoas ao meu redor.

Como vivo minha fé

Minha responsabilidade dentro da Igreja é presidir uma comunidade local como líder eclesiástico. Por trabalhar com eventos, muitas vezes já fui questionado sobre como consigo conciliar as duas coisas. Explico que desde cedo na vida fui ensinado por meus pais que quando somos batizados em A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, fazemos a promessa a Deus de que cumpriremos com seus mandamentos pelo resto de nossas vidas. A decisão de obedecer aos mandamentos não é uma decisão que preciso tomar no momento em que me deparo com um desafio, mas é uma decisão que tomei quando decidi me filiar a Igreja. Desde o início no meu trabalho decidi que deixaria bem claro a todas as pessoas que eu sou mórmon e que o domingo é um dia sagrado para mim - O Dia do Senhor e da família. Sempre que preciso participar de um evento, faço um contrato especificando que as pessoas poderão ter o meu auxílio até a meia noite de sábado e que não trabalho aos domingos. Por causa da minha convicção em manter sagrado este dia santificado, sinto que o Senhor me abençoa com a compreensão das pessoas e inúmeras vezes vi a mão do Senhor agir em meu benefício. Algumas vezes até tive clientes que mudaram a data de seus eventos para que ainda assim eu o pudesse fazê-los. Sei que o sucesso que tenho hoje, provém da fidelidade a Deus e a Seus mandamentos. Uma das minhas responsabilidades na Igreja é cuidar dos jovens, estar com eles e fortalecê-los. Sou grato pelos líderes que me ajudaram durante a juventude e espero sempre ser capaz de fazer o melhor para ajudar cada moça e rapaz a estar melhor preparado para encarar com firmeza o futuro.