mormon.org Brasil
Matheus Crisóstomo: Crisóstomo, Mórmon.

Oi, eu sou Matheus Crisóstomo

Sobre mim

Adoro jogar videogames, principalmente jogos de competição, como de dança. Entre outros hobies, gosto de ler, escutar música, e nada melhor do que sair com os amigos para ter longas horas de papo e risadas. Gosto de sempre saber como meus amigos estão, e sempre que necessário eu estou ajudando-os, mesmo que seja somente com um ombro amigo. Gosto de ver outros felizes, independente do meu humor; quando vejo outros felizes, sinto que a minha felicidade não se encontra tão longe quanto pensava.

Por que sou mórmon?

Acho que o motivo de eu ser mórmon é que, ao entrar na Igreja, a minha perspectiva da vida mudou. Antes eu pensava que simplesmente nascíamos e crescíamos para podermos ser bem sucedidos na vida, acumulando riquezas, e até mesmo poder. Hoje eu tenho uma perspectiva eterna sobre todas as coisas em minha volta. Não importa o que seja, penso que se for para ser eterno, muitas coisas irão acontecer, e a perspectiva de eternidade sem alguém que nos mostrasse que isso é possível seria algo equivocado. Jesus Cristo me mostrou que, mesmo aqui na Terra, devemos fazer as coisas necessárias para sermos dignos de, um dia, habitarmos com Deus, nosso Pai Celestial.

Histórias Pessoais

Poderia falar um pouco sobre seu batismo?

Meu batismo foi dia 17 de maio de 2014. No fundo, essa acaba se tornando uma data mais significativa para mim do que o meu próprio aniversário. Como diz nas escrituras, é no batismo que decidimos nascer de novo. Quando decidi me batizar, eu sabia que aquela seria uma decisão que mudaria o rumo da minha vida. Desde o meu batismo, a minha vida mudou: sinto que a cada erro que cometo, mesmo que seja difícil para eu mesmo me perdoar algumas vezes, existe alguém que está disposto a me perdoar. Aquele dia foi cheio de alegria. Amigos que moravam muito longe estavam vindo até a minha cidade para assistir ao meu batismo. Lembro de ter esperado alguns deles na estação de trem, e minhas bochechas estavam doendo porque não conseguia tirar o sorriso do rosto. Naquele dia eu estava muito feliz, e por causa daquele dia eu sou feliz até hoje, e independente das aflições, serei feliz para sempre.

Como vivo minha fé

Servi como 1º conselheiro dos rapazes, consultor de história da família e professor do MAS. Para viver o Evangelho, gosto de ler as escrituras e ponderar. Dependendo do local em que estou, passo algumas horas meditando, em silêncio, sobre assuntos diversos do Evangelho, quer seja uma escritura que me tocou, quer seja um pensamento que me ocorreu. Prefiro mais ouvir do que falar. Creio que ao ouvirmos, somos melhor ensinados.