mormon.org Brasil
Robson: estudante, música, missionário, futebol, converso, Mórmon.

Oi, eu sou Robson

Sobre mim

Sou uma pessoa que ama a simplicidade e os momentos próximos aos familiares. Adoro praticar esportes, especialmente futebol e handebol, mas apenas faço-o como forma de entretenimento. Torço para o São Paulo e amo o Real Madrid. Acompanho, sempre que possível, todos os jogos desses times.. Nas horas vagas gosto de tocar violão e guitarra, além de aprimorar as minhas habilidades no piano. Gosto muito de ouvir grupos musicais de membros da igreja, como The Piano Guys e Vocal Point. Estou preparando-me para ser um missionário de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Servirei na Missão Brasil Florianópolis e estou extremamente feliz, pois a missão é algo que sempre planejei em minha vida, desde que tornei-me membro da igreja, aos 13 anos. Enquanto não saio em missão, trabalho com meu pai em uma simples loja de refrigeração, onde guardo dinheiro pra minha missão e desenvolvo minhas técnicas profissionais. Estudo administração na Universidade Presbiteriana Mackenzie, um curso e universidade que amo de todo o meu coração.

Por que sou mórmon?

Nunca tive uma formação religiosa sólida, mas sempre tive dúvidas em minha alma, que nunca conseguia encontrar respostas. Embora fosse jovem, certa vez, aos 12 anos de idade, aproximadamente, perguntei-me qual era o propósito de ter uma família aqui. Depois da morte, eu nunca mais os veria ? Fiquei apavorado e cheguei a chorar com medo de perder meus pais e meu irmão. Fiquei um bom tempo com essa dúvida, e muitas outras, em minha alma. Procurei em inúmeras fontes, religiosas e temporais, a reposta para aquela dúvida angústia de minha alma, porém cada pessoa me respondia algo diferente e eu não sentia que aquilo era verdadeiro. Tinha desistido, por um tempo, de procurar aquela reposta. Depois de um tempo, ao chegar de uma partida de futebol em casa, deparei-me com os missionários dentro de minha casa, convidados por meu pai que era ateu, para entrar. Eles o encontraram através de um simples contato na rua. Quando eles começaram a ensinar-nos, trouxeram uma mensagem que respondia exatamente as minhas dúvidas " De onde viemos ? Porque estamos aqui ? Para onde vamos ?" Foi então que eles explicaram o propósito das famílias e da vida aqui na Terra. Eu senti algo extremamente forte em meu coração, além de um refluxo claro de ideias sublimes, ao ser ensinados por eles, senti fortemente que aquilo era verdade. Não era uma doutrina feita por homens, muitos menos uma mistura de verdades e mentiras, mas era a pura doutrina de Deus. Como se não bastasse, eles convidaram minha família e eu a orarmos, em nome de Jesus Cristo, pra saber se aquelas coisas eram verdadeiras, não queriam que seguíssemos pela luz e fé deles, mas que tivéssemos uma resposta diretamente de Deus. Eu orei e tive uma experiência clara e inesquecível, que essa igreja e doutrina eram verdadeiras, tomei a decisão de me batizar, juntamente com a minha família e estou seguindo firme nesse caminho sagrado e maravilhoso. Eu não tenho dúvidas que foi a melhor escolha da minha vida, minha vida. Amo ser mórmon.

Como vivo minha fé

A fé mórmon exige extrema devoção e prática, mas é algo que traz extrema felicidade e amor ao coração daquele que participa. Tenho algumas responsabilidades na Igreja, sou o líder masculino do jovens que tem mais de 18 anos solteiros da minha ala. Meu dever, junto com a líder feminina, é planejar atividades espirituais, esportivas, de relacionamento pessoal e educacionais aos jovens. É um dever que amor realizar, pois desfruto de uma alegria enorme, juntamente com eles, ao participar desses eventos. Outra responsabilidade que tenho é servir como Mestre Familiar e Missionário de Ala. Como Mestre Familiar, eu possuo outro companheiro, que é excepcional, onde somos responsáveis por visitar e cuidar, de todas as formas possíveis, das famílias que temos a felicidade de ajudar. Todas as vezes que nos reunimos sentimos um amor incrível, aprendemos juntos e fortalecemos os nossos relacionamentos espirituais e temporais. Como missionário de ala, meu dever é ajudar os membros que não estão frequentando a igreja, os membros que foram batizados recentemente e as pessoas que visitam a igreja a sentirem-se fortalecidos, amados e auxiliados em tudo o que for necessário. Eu não tenho palavras pra descrever o quanto é bom participar dessas coisas. Não sinto nada melhor do que quando sirvo aos meus queridos irmãos.