mormon.org Brasil
Cristoffer: estudante, escoteiro, Brasília, direito, Ceilândia, Mórmon.

Oi, eu sou Cristoffer

Sobre mim

Sou escoteiro há pouco mais de três anos, amo aventura, esportes radicais, trabalho em equipe e contato com a natureza. Moro com minha mãe, padrasto e duas irmãs. Sou estudante de Direito. Amo ler. Estou escrevendo um livro de ficção. Entre as coisas que mais gosto de fazer estão: participar de atividades da igreja, tocar violão, cozinhar e acampar.

Por que sou mórmon?

Meus pais eram da igreja antes de eu nascer, mas ficaram inativos. Quando nasci eles retornaram e então eu fui "criado dentro da igreja". Li, pela primeira vez, o Livro de Mórmon aos sete anos de idade. Ao completar oito anos, fui batizado. Eu fora ensinado desde cedo a andar de acordo com os princípios e ensinamentos do evangelho, embora ainda não soubesse, por mim mesmo, da veracidade de todas aquelas coisas, eu apenas sabia que Cristo e Deus viviam, que o Livro de Mórmon e a igreja eram coisas boas. Claro que, em certo momento da minha vida, saber que isso era simplesmente bom não era o suficiente e eu sabia que precisaria decidir se aquilo faria parte definitiva da minha vida ou não; simplesmente não podia mais viver com base na crença de meus pais. Então eu passei a ler as escrituras, participar das atividades da igreja, ficar mais atento às aulas e reuniões do domingo e orar com o próposito de saber se todas essas coisas eram verdades e se esta era a Igreja do Salvador. Não vi anjos, nem tive sonhos especiais, não vi a Deus e Jesus Cristo como Joseph certamente viu, mas ao longo do tempo em que buscava saber da veracidade destas coisas, eu sentia a doce e suave confirmação do Espírito Santo de que esta é a Igreja de Cristo restaurada na face da Terra, que o Plano de Salvação é muito mais do que algo para nos confortar diante das coisas ruins deste mundo, é algo real. E saber destas coisas me faz querer ser o melhor, e me faz querer mostrá-las pra aqueles que amo, pra que sintam a mesma felicidade genuína que sinto por fazer parte deste evangelho.

Histórias Pessoais

Como seu conhecimento do Plano de Felicidade mudou/beneficiou sua vida?

Em um mundo onde o que é pregado são coisas do tipo "vamos aproveitar mesmo porque vamos morrer", "não pedi pra nascer", "faça tudo o que quiser, tudo acabará quando você morrer mesmo", ter conhecimento do Plano de Salvação é, além de consolador, algo maravilhoso. Saber que vivi antes de nascer na Terra e que tenho um propósito aqui, me faz pensar melhor minhas atitudes e buscar ser o melhor possível. As coisas mudam quando deixamos de enxergar através de olhos mortais e buscamos uma perspectiva eterna. É esplêndido saber que a vida nesta Terra é apenas uma fase, uma parte do Plano, e que podemos, um dia, reencontrar as pessoas que amamos e se foram e viver com elas. Saber que posso ter uma família eterna me dá forças para fazer a vida valer a pena do jeito correto.

Poderia explicar o papel que a oração desempenha em sua vida?

A oração é o meio de comunicação que existe para nos comunicarmos com os Céus. É um presente maravilhoso. Saber que há uma forma de falar diretamente com Deus me faz sentir mais amor por Ele e ser grato por ser Seu filho. Um dia em que não reservo tempo para conversar com Deus é um dia frustrado. É através da oração e dos sentimentos do Espírito depois que oro que sei o que Deus quer de mim naquele dia, é através dela que Ele orienta meus passos para que eu fique em segurança e é através dela que posso expressar minha gratidão por Suas bênçãos. A oração é um meio que tenho de estreitar os laços com Deus, quando tenho problemas ou dificuldades sei que posso orar e pedir Sua ajuda e orientação. Quando tenho dúvidas a respeito de qualquer coisa e não sei exatamente qual atitude tomar, posso orar e saber Daquele que tudo conhece, o que é melhor para mim. A oração tem, em minha vida, o papel que a bússola, o Sol ou as estrelas têm quando estou em uma trilha ou em uma floresta; ela me guia, posso me orientar através dela e, assim, chegar ao meu objetivo final.

Por que os mórmons saem em missão?

Embora Cristo tenha nos ensinado e literalmente ordenado que preguemos o evangelho e confirmemos nosso próximo, não se trata de fazer só porque é um mandamento. Um dos mais grandiosos frutos do evangelho de Cristo é a felicidade que sentimos por conhecê-lo. Eu poderia dizer que esta felicidade é grande o suficiente para não caber dentro de nós e, então, precisamos dividi-la com alguém. É algo, talvez, inexplicável o sentimento que temos ao recebermos a confirmação de Deus que esta é a Igreja de Cristo e este é o caminho correto a seguir; e é este sentimento que nos move. Não podemos explicar isso da forma clara como acontece, por isso queremos que as pessoas sintam o mesmo e vivam as experiências incríveis que vivemos e saibam, por si mesmas, que estas coisas são verdades. Como conhecedores destas coisas, cabe a nós sair ao mundo e pregar. Há pessoas que estão esperando por respostas, e nós as temos! O sentimento de gratidão por ajudar alguém a encontrar propósito na vida e a entender coisas sobre "porque morremos" ou "porque estamos aqui" é algo indescritível. Fomos chamados por Cristo a trabalhar em Sua obra nestes dias. Somos preparados para ajudar as pessoas, fisica, emocional e espiritualmente e temos o desejo de fazê-lo por sabermos da importância para o Pai Celeste de cada um destes filhos Dele.

Como vivo minha fé

Desde pequeno sirvo na igreja, já fui líder dos rapazes, dos homens e representante de classe de jovens. Sirvo como missionário em minha unidade atualmente, além de ter o dever, como mestre familiar, de visitar, cuidar e ser amigo de algumas famílias especiais designadas a mim. Sempre que necessário ajudo na limpeza da capela ou em outras atividades como bailes, em que algumas vezes fico responsável pela seleção e execução da lista de músicas. Algo bom sobre a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias é que nós sempre temos algum trabalho a fazer, isso une os membros e nos faz sentir úteis e importantes.