mormon.org Brasil
Ingryd Enes: Séries, Música, Livros, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Nasceu na Igreja, Mórmon.

Oi, eu sou Ingryd Enes

Sobre mim

Não sou muito boa em falar sobre mim mesma, mas vou tentar. Tenho 19 anos e sou a primogênita de quatro irmãs. Vivo com meus pais e somos vizinhos dos meus tios e avós maternos. Meus hobbies? Ler livros investigação, como Agatha Christie; suspense e terror, como Stephen King; Ouvir música, principalmente MPB atual, como Cícero e Marcelo Camelo; indie rock, como Tame Impala e Foster The People; pop alternativo, como Snakadaktal, Of Monsters and Men e Florence and The Machine; Assistir séries de comédia, como Friends, How I Met Your Mother e The Big Bang Theory; (é isso que eu faço no meu tempo livre) Planejo cursar Fisioterapia ou Fonoaudiologia quando voltar da missão; ainda não sei qual, porque acho as duas áreas maravilhosas!

Por que sou mórmon?

Meus pais se batizaram quando eu tinha um ano de idade; então eu cresci na Igreja. Muitas pessoas, até mesmo meus amigos, já me disseram que eu sigo minha religião porque meus pais querem e não por mim mesma; que sou mórmon porque eles me ensinaram e isso pra mim seria muito confortável, o que não é nem um pouco verdade. Às vezes acham que por "nascer" mórmon, você já tem um testemunho e não precisa buscar para saber por si mesmo. A nossa religião é muito "atacada" por quem não a conhece e muitas vezes é difícil ser a única mórmon na faculdade ou no trabalho; algumas vezes, na família mesmo. Elas nos julgam por nossos padrões de vestimenta ou de linguajar e acham que somos muito "quadrados", ou ouvem boatos maldosos sobre nossa religião em si e tomam isso por verdade. Não vou dizer que é fácil ser mórmon em nossos dias. Não que a nossa religião seja complicada demais, cercada de mistério e segredos. Difícil é resistir às tentações que o mundo nos impõe. Quer um exemplo? Eu te dou muitos! Estudar as escrituras ao invés de assistir um filme; Agradecer ao Senhor ao invés de reclamar da vida; Ouvir hinos ao invés de ouvir o rádio; Enfim, a lista é longa... Como podem ver, nossa vida é cheia de escolhas e eu acredito que o grande desafio não é escolher o certo ou o errado; é escolher entre o bom e o melhor, num mundo cheio de tanta distração. Temos dificuldades como quaisquer outras pessoas. A diferença é que lidamos com nossos problemas de maneira positiva, pois sabemos que Deus e Seu Filho nos amam e tem um plano pra nossa vida. Sei que está é a Igreja de Cristo restaurada na face da Terra. Eu sei dessas coisas porque orei ao Senhor e perguntei se essas coisas eram certas. Se você que está lendo tem dúvidas, dobre seus joelhos e ore também! Eu te garanto que ele não vai te deixar sem uma resposta. Um grande abraço! Ingryd Enes

Como vivo minha fé

Sempre vivi em meio à pessoas de outras religiões, como meus amigos e toda minha família por parte de pai. Nunca fui muito de falar da Igreja, a não ser que me perguntassem; gostava mesmo era de mostrar como era ser mórmon pelas coisas que eu fazia. O que, é claro, surtia muitas dúvidas naqueles que me cercavam. Sempre respondi as perguntas com muito carinho e educação e continuarem assim fazendo. A maioria acha que é muito chato ser mórmon, porque "você não pode fazer nada". Eu desminto isso. Ser mórmon não significa viver cheio de restrições; pelo contrário, significa não se restringir ao que o mundo te oferece e procurar algo melhor! ______________________________________________________________________________________ Adoro entrar em familysearch.org e procurar meus antepassados; afinal de contas, se não fossem por eles eu não estaria aqui hoje. Fazer sua genealogia é muito legal mesmo e todos podem fazer! Hoje eu sirvo na Igreja como professora dos Jovens Adultos Solteiros (entre 18 e 30 anos). É uma classe muito divertida! Falamos exatamente sobre como viver nossa fé nesses dias, sobre como enfrentar nossos problemas, sempre focados em Jesus Cristo, nosso Salvador. A partir do dia 2 de março servirei como missionária de tempo integral em Porto Alegre (sabe aquelas moças que andam com plaquetas no peito, sempre sorrindo e dispostas a ajudar? Eu serei uma delas!) e estou muito ansiosa pra que isso aconteça!