mormon.org Brasil
Nicolas Ribeiro: Futuro Missionário, Testemunho firme, Feliz, Jovem, Terno bonito, Música, Mórmon.

Oi, eu sou Nicolas Ribeiro

Sobre mim

Sou uma pessoa bem animada e prestativa. Meu maior talento é de ajuda ao próximo. Gosto de tirar fotos (pessoas, paisagens e eventos da igreja). Gosto também de aprender coisas novas: Estou terminando de ler um livro, fazendo Tai chi, aprendendo a tocar violão e aprendendo a falar japonês. Realmente tenho uma grande gosto para a cultura oriental, desde criança. Fui criado por pai e mãe (que hoje estão separados) brasileiros e kadercistas. Hoje o meu maior foco é de ir para a missão e aplicar o meu maior talento.

Por que sou mórmon?

Eu me mudei para Belo horizonte (MG). Na escola cheguei a conhecer uma menina que era Mormón e conversando com ela fui apresentado a sua mãe. A mãe dela me convidou para ir a igreja. Conversei muito com os missionários e participei das reuniões inúmeras vezes, porém, por mais que tivesse um testemunho, minha mãe não deixava me batizar. Então os missionários fizeram uma promessa para mim: Iremos jejuar juntos, e quando o jejum terminar. Você será batizado na igreja. Fiz o jejum e minha mãe me apoiou a entrar na igreja, pois ela sabia que seria bom pra mim... De alguma maneira. E até hoje ela diz que a igreja foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida. Sou mórmon por que senti que este realmente seria o caminho "estreito e apertado" mas que realmente teria uma felicidade plena por causa disso. Sou grato pelos missionários não terem desistido de mim. Sou grato pelo Senhor não ter desistido de mim. E hoje sou missionário de tempo integral e levo esta gratidão e felicidade as pessoas.

Histórias Pessoais

O que o ajudou a ter mais harmonia em seu lar?

Maravilhoso é poder ouvir quem não é da igreja sobre a sua mudança. Minha mãe disse que, depois da separação dela com o meu pai, eu tive uma característica forte em mim: A de ficar longe da família e minha crença em Deus era muito pequena. Quando, comecei a ir nas reuniões da igreja, me batizar e ser frequente. Me tornei mais familiar e minha crença e fé no Senhor, aumentou. Hoje trato as pessoas da minha família com mais importancia, pois sei que as famílias poderão ser eternas. E quero ter um sentimento de amor e confiança, desde agora, praticando tudo que aprendo na igreja.

Poderia falar um pouco sobre seu batismo?

Quando conheci A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, foi através de um convite de uma senhora que frequenta (mãe de uma amiga). No início não aceitei muito, mas quando os missionários me fizeram o desafio de ler o livro de mormón. O Espírito Santo confirmando que era verdade e que o livro de mormón, não era invenção de simples homens. Depois conversei com os missionários, eles me fizeram o convite do batismo e de jejuar para que minha mãe pudesse autorizar. Assim fiz e recebi as bençãos do jejum. E vivo feliz nos mandamentos e convenios de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

De que forma fazer escolhas certas nos ajuda a fazer mais escolhas certas?

As escolhas certas nos fazem felizes. Quando estava decidindo se ia ou não para a missão de tempo integral fiquei com medo de não conseguir a faculdade. Mas existe uma escritura que diz: Quando procuramos fazer a vontade de Deus em primeiro lugar, o resto é acrescentado. A missão é uma escolha certa para minha vida e para outros rapazes de 18 - 26 anos e moças com 19+. A escolha certa trazem força divina e felicidade plena.

Como vivo minha fé

Eu, na igreja, sou missionário de tempo integral. É uma vida maravilhosa de compartilhar o testemunho das coisas do Senhor. Vivo de forma alegre, animada e a cima de tudo "Crente" e obediente. Ser um "Crente" quer dizer que posso colocar minha vida nas mãos do Senhor, pois sei que Ele vai prover aquilo que precisar e sei que tenho de ser obediente as ordens Dele para que possa viver em paz e preservar a minha felicidade. Ter fé, quer dizer que temos a obrigação de ajudar a todos os filhos do Senhor, a menos que isso vá prejudicar outra pessoa ou a mesma. Antes de ser missionário, tive outros chamados de serviço voluntário na igreja. Fui coralista, 1º conselheiros dos rapazes, 1º auxiliar do líder da obra missionária em minha região. Sou feliz por viver este "convênio", sou feliz por ser missionário de tempo integral, sou feliz por ser "mórmon".