mormon.org Brasil
Arlene: estudante, esposa, mãe, genealogia, história da família, amizade, Mórmon.

Oi, eu sou Arlene

Sobre mim

Sou esposa e mãe. Estou na faculdade cursando Ciências Sociais. Gosto de ir à praia e viajar. Também gosto muito de fazer novos amigos. Sou divertida e adoro as oportunidades de compartilhar meus dons e talentos com as pessoas ao meu redor. Amo a história da família. Sou uma caçadora de informações e gosto de utilizar esse talento para ajudar as pessoas no Centro de História da Família.

Por que sou mórmon?

Sou mórmon desde criança. Essa escolha de manter-me na Igreja fez toda a diferença em minha vida. Me tornei uma pessoa paciente e amável, que se importa sinceramente com os outros e que deseja um mundo melhor pra todos. Eu sei que é a Igreja verdadeira. Mesmo com todos os defeitos que tenho, sei que posso melhorar a cada dia com a ajuda dos líderes inspirados e guiados por Deus e com a ajuda do Pai Celestial e Jesus Cristo. O Pai Celestial têm um plano perfeito para nós e basta nosso esforço para conseguirmos conquistar o que desejamos. Na Igreja, aprendemos a nos desenvolver tanto espiritualmente quanto temporalmente. Somos aconselhados a buscar todas as coisas boas ou louváveis para nosso crescimento e para que possamos ajudar os outros. Aconselho você a conhecer e visitar a Igreja. Mas não venha à Igreja procurando pessoas perfeitas. Todos somos imperfeitos e estamos em um lugar que nos ensina a procurar a perfeição. Venha à Igreja procurando os ensinamentos e amor que o Pai Celestial oferece a todos.

Histórias Pessoais

Por que os mórmons fazem o trabalho de história da família ou genealogia?

Acreditamos que as famílias podem ser eternas e para que nossa família possa ficar unida, precisamos começar o trabalho de história da família ou genealogia. Nesse trabalho, fazemos nossa árvore familiar, que é identificar e conhecer nossos antepassados: filhos, irmãos, pais, avós, bisavós, tios, primos, etc. Criamos uma árvore com toda a nossa família e através desse trabalho conhecemos várias histórias sobre nós e nossos parentes. Alguns terão um tataravó que foi uma pessoa importante na história da cidade ou foi um humilde agricultor. Nesse trabalho aprendemos a não julgar os erros ou acertos de nossos parentes. Aprendemos a amá-los como foram. Quanto mais conhecemos, mais os amamos. A importância desse trabalho é imensa pois, através dele, faremos as ligações dos elos através dos anos. Essa ligação é que vai nos ajudar a ter uma família eterna. Eu amo esse trabalho de história da família e a cada dia, amo muito mais a minha família com todos os erros que descobri ao longo do caminho. Eles me tornaram quem eu sou hoje. E tenho muito orgulho de pertencer à minha família.

Como vivo minha fé

As minhas responsabilidades na Igreja são três. Sou assistente do Centro de História da Família de nossa área, com essa designação sou responsável por auxiliar na administração do centro realizando pedidos de microfilmes para pesquisa, materiais de apoio e outras tarefas administrativas e também ajudo os visitantes com suas pesquisas genealógicas, tirando dúvidas e resolvendo problemas. Sou secretária da organização responsável pelas mulheres adultas. Nessa organização cuidamos para que todas as mulheres possam sentir-se amadas, valorizadas e ensinadas com todo amor. Minha função é auxiliar a presidente da organização com as agendas, reuniões, organização de eventos e tudo mais que me for solicitado. Minha terceira função é como professora visitante. Pelo menos uma vez por mês, realizo uma visita à algumas irmãs em suas casas, para saber do que precisam ou simplesmente para conversar e fortalecer nossa amizade.