mormon.org Brasil
Jonathan: Artes, Música, Blog, Armazenamento, Família, Trabalho, Mórmon.

Oi, eu sou Jonathan

Sobre mim

Sou um leitor ávido, gosto muito de arte e de escrever, mantenho alguns blogs. Adoro ensinar e tenho uma mente muito simples e prática. Sou casado, pai de cinco filhas. Gosto de música, toco diversos instrumentos de sopro como flautas, gaitas, clarinete, entre outros.

Por que sou mórmon?

Como disse, sou mórmon desde que nasci. Tenho um forte testemunho da veracidade do evangelho de Jesus Cristo e de que A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias foi restaurada nestes últimos dias por Joseph Smith, que o Livro de Mórmon é a palavra de Deus e que juntamente com a Bíblia estabelecem as verdades cristãs que haviam sido perdidas pela história após a morte dos Apóstolos originais chamados pelo Salvador. Sei, por mim mesmo, que Thomas S. Monson é o profeta vivo de Deus na terra e que ele conduz a Igreja sob a revelação de Deus. Sei de tudo isso como resultado de um estudo dedicado e sincero das escrituras e da resposta às minhas orações. Senti em meu coração, como resposta, a tranquilidade da certeza. O Espírito Santo revelou cada uma destas verdades ao meu coração, dando-me paz e tranquilidade sobre o assunto.

Histórias Pessoais

Por que/Como vocês compartilham o evangelho com seus amigos?

Há muitas maneiras de compartilhar o evangelho. Talvez a que eu mais utilize é dar aos meus amigos um Livro de Mórmon, pois este livro é uma prova física da restauração da Igreja nestes últimos dias e de que Joseph Smith foi, de fato, o profeta desta restauração. Pois ao ler suas páginas com real desejo de saber sobre sua veracidade, uma pessoa sentirá, pelo poder do Espírito Santo, que o Livro é verdadeiro. Se o Livro é verdadeiro, Joseph Smith verdadeiramente o traduziu pelo dom e poder de Deus, portanto ele é um profeta e toda a obra de restauração é verdadeira. Por isso convido a todo para que leiam e orem a Deus perguntando se o Livro de Mórmon é verdadeiro, para que saibam como eu sei que é e, assim, possam escolher seguir este sagrado evangelho.

Poderia explicar o papel que a oração desempenha em sua vida?

Todos os dias sou confrontado por diferentes desafios e decisões, muitas vezes estes desafios e decisões têm grande importância e impacto em minha própria vida e de minha família. Tanto para as decisões menores quanto para as de grande impacto, oro em busca da orientação divina. Dirijo-me a um lugar tranquilo em meu lar, onde sei que não serei interrompido, pondero por alguns instantes sobre o problema ou desafio à minha frente, então ajoelho-me e ofereço meu coração a Deus, converso com Ele, exponho o problema e minha própria decisão. Em seguida, leio as escrituras, especialmente o Livro de Mórmon, ou um artigo da Liahona (uma publicação da Igreja) da Conferência Geral mais recente. Frequentemente leio algo que responde minhas dúvidas ou tenho algum pensamento ou idéia inspirada que vai diretamente ao encontro de minhas necessidades. É o Espírito revelando-me pessoalmente como agir, de acordo com a vontade de meu Pai Celestial. A Conferência Geral é um evento mundial da Igreja em que nossos líderes, inclusive o Profeta vivo de Deus, nos instruem e nos transmitem a vontade do Senhor. Normalmente ocorrem no primeiro sábado e domingo de Abril e de Outubro de cada ano.

Como vivo minha fé

Sou mórmon desde que nasci e tenho servido na igreja em diversas posições de liderança. Recentemente era Bispo em nossa Igreja, agora sirvo como Líder da Obra Missionária e Mestre Familiar, esta última é uma posição que me dá a responsabilidade de cuidar do bem estar de algumas famílias designadas e a outra me faz responsável pela divulgação do evangelho na região onde moro. Servi como missionário nos anos 1984 e 1985 na Missão Brasil Porto Alegre. Ao viver minha fé, estudo as escrituras, oro ao Pai Celestial diariamente, leio o Livro de Mórmon todos os dias, procuro servir ao próximo de muitas maneiras e aceito as responsabilidades que recebo de meus líderes. Trabalho duro para sustentar minha família e ser autossuficiente para poder também ajudar outras pessoas em necessidade. Pago meu dízimo, isto é, pago ao Senhor um décimo de meus rendimentos anuais, através da Igreja. Faço um jejum mensal por 24 horas, durante as quais, não como nem bebo nada e o dinheiro que gastaria nestas refeições dou para o Fundo de Jejum, a fim de que a Igreja tenha meios de ajudar os pobres e necessitados.