mormon.org Brasil
Павел (Pavlo): психолог, музыкант, утрата, очищение, семья, испытания, Mórmon.

Oi, eu sou Павел (Pavlo)

Sobre mim

Já tive muitas emoções e experiências na vida. Raramente as encaro como uma provação difícil. Vejo mais como uma aventura incomum e fascinante. Quando estava no primeiro ano da faculdade, perdi a visão totalmente. Apesar da gravidade dessa perda, e graças ao apoio de minha mãe e meus amigos, consegui me adaptar à nova situação e continuar e completar com sucesso minha formação. Trabalho como psicólogo e tenho uma clínica particular. Isso me dá a chance de ajudar as pessoas a lidar com as adversidades e perdas, e encontrar força para viver uma vida mais plena e feliz. Estou trabalhando há dois anos em minha tese sobre um assunto muito interessante no campo da Psicologia. Sou casado há vários anos. Amo a natureza, comidas gostosas, literatura profunda e não menos conversas francas. Estudei música antes de perder a visão e ainda me divirto tocando contrabaixo em um grupo pop. Sei com certeza que o verdadeiro cego não é aquele que anda na escuridão, mas aquele que tem a escuridão dentro de si.

Por que sou mórmon?

Quando percebo a grandeza do mundo ao nosso redor, não tenho dúvidas sobre a existência de Deus. Fico impressionado com a complexidade e a sábia estrutura deste mundo. Não posso e não quero acreditar que tudo aconteceu ao acaso. Esse tipo de visão é uma bobagem. Acredito que há um Criador. A pergunta é: Quem tem os ensinamentos corretos sobre Ele? Acredito em Deus desde criança. Tinha muitas perguntas sobre Ele, por isso visitei muitas igrejas em busca da verdade. Não encontrava respostas satisfatórias em lugar algum e sempre sentia que minha sede espiritual não era saciada. Quando tinha 18 anos, conheci os missionários de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Quando debatíamos questões bíblicas e espirituais, suas respostas eram facilmente aceitas em meu coração. Tinha a sensação de não estar aprendendo algo novo, mas de lembrar de algo que eu já sabia há muito tempo. Era algo muito simples e óbvio. Observava os missionários e ficava impressionado pelo modo de vida deles ser tão diferente do meu, mesmo tendo a mesma idade que eles. Percebi que precisava daquela proximidade com Deus; queria uma vida mais pura. Os ensinamentos do Livro de Mórmon fizeram uma revolução em minha alma. Eles me purificaram e despertaram em mim o desejo de viver de acordo com a verdade. Decidi mudar de vida e unir-me à Igreja. Essa decisão trouxe-me um sentimento de paz. Finalmente saciei minha sede. Valorizo minha fé porque ela me ajuda a crescer e ser melhor.

Como vivo minha fé

Muitas pessoas que pertencem a essa Igreja enfatizam que vivemos nossa religião diariamente, não apenas aos domingos. Nossa religião é mais do que passar horas na Igreja. É muito mais do que isso — é um modo de vida, a visão de mundo e a atitude que temos em relação às coisas que acontecem. Não importa o que eu faça, antes de tudo sou um discípulo de Jesus Cristo. A Igreja me dá muitas oportunidades de demonstrar minha devoção aos ensinamentos do Salvador por meio de minhas ações. Faço muitas coisas na Igreja e adoro o que faço atualmente — ensino os rapazes entre 12 e 18 anos. Tento transmitir o que sinto e aprendo, como, por exemplo, como desenvolver dedicação sincera ao Salvador; como aprender a ser um marido amoroso e bom pai; como não desistir de seus valores e de suas convicções em um mundo cheio de contradições e como lidar com sentimentos contraditórios. Minha esposa e eu estamos numa fase da vida em que precisamos dedicar muito tempo e energia à educação e ao desenvolvimento profissional. Procuramos aprender sobre a vida e preparar-nos para ser bons pais. Ambos estamos envolvidos com psicologia e educação. Quando estamos juntos, geralmente discutimos os princípios de desenvolvimento do caráter e a criação dos filhos. Acho que este é um dos fundamentos de nossa fé — ensinar a nova geração e ajudá-la a revelar as partes mais profundas e puras de seu caráter.