mormon.org Brasil
Sebastião Assis de Melo: CONVERSO, Mórmon.

Oi, eu sou Sebastião Assis de Melo

Sobre mim

Sou Téc. em Contabilidade, aposentado, divorciado, ainda não me casei no templo, mas é o meu objetivo maior da minha existência. Espero encontrar a minha eleita e selar meu casamento. Quando entrei para a Igreja perdí minha família, porque não aceitaram entrar comigo para a Igreja Verdadeira , são protestantes, minha ês mulher preferiu divorciar-se de mim do que aceitar a Igreja.

Por que sou mórmon?

Sou mórmon porque obtive um forte testemunho da veracidade sobre a Igreja Verdadeira de Jesus Cristo.

Histórias Pessoais

Compartilhe seus sentimentos sobre a Restauração do Evangelho ou compartilhe seu testemunho dela.

A Maior riqueza que obtive nesta vida mortal é ter descoberto por mim mesmo, a Igreja Verdadeira de Jesus Cristo, através de uma oração simples e objetiva, que fiz ao Pai Celestial, perguntando a Ele se houvesse uma igreja verdadeira na terra, que me mostrasse por revelação do Seu Espírito Santo. Em seguida tive o privilégio de receber a visita de dois missionários mórmons no meu apto., era tudo que eu precisava saber, fui batizado após as palestras dos missionário. Na minha mente era como se eu encontrasse todas as peças de um quebra cabeça, é simplesmente maravilhoso, descobri quem sou, o que estou fazendo aqui na terra, e para onde vou depois que morrer.

Como vivo minha fé

Tenho um forte testemunho sobre a veracidade da Igreja Verdadeira. No final do ano de 1985, mais precisamente no dia 20 de dezembro, recebi a visita de dois missionários no meu apto. onde morava em Curitiba, Paraná. Tenho certeza absoluta, que a visita dos missionários naquele dia, foi a resposta de uma oração que fiz ao Pai Celestial, perguntando a Ele, se havia uma igreja verdadeira sobre a face da terra, e se havia qual era? como poderia saber? Pedi ao Pai Celestial que mandasse dois anciões da igreja verdadeira no meu apto.e assim aconteceu, depois que conheci a Igreja de Jesus Cristo, entendi que os dois missionários também são chamados de anciões ou elderes no ofício do sacerdócio de melquisedeque.