mormon.org Brasil

Oi, eu sou Elizabeth

  • Elizabeth Barkley
  • Elizabeth Barkley
  • Elizabeth Barkley
  • Elizabeth Barkley
  • Elizabeth Barkley
  • Elizabeth Barkley
  • Elizabeth Barkley
  • Elizabeth Barkley

Sobre mim

Sou uma mãe que cria os filhos sozinha, sou avó, bisavó, mãe adotiva e mãe social. Sempre amei a ideia de ser mãe. Minha primeira paixão foi ser mãe, principalmente de bebês. Gosto de passar tempo e de passear com meus filhos. Sinto-me mais jovem quando convivo com meus filhos. Quando preciso de um tempo sozinha, adoro ir a bazares e encontrar coisas para reciclar e transformar em novas. Gosto muito de consertar coisas e torná-las bonitas e adoro encontrar pechinchas.

Por que sou mórmon?

Durante toda minha vida procurei por uma família na igreja que estava frequentando. Toda igreja que visitei deixou-me insatisfeita. Então, conheci os missionários e vim para A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Senti-me amada pelas pessoas e finalmente encontrei a “família” que tanto procurava. Senti-me mais amada pelas pessoas da igreja do que por minha própria família. Durante minha vida, sempre quis saber como deveria viver e ninguém nunca soube me ensinar até que me tornei mórmon. Posso parecer diferente daqueles que me rodeiam, mas a família da igreja me ama por quem eu sou por dentro. É esse amor que sinto quando estou com eles.

Histórias Pessoais

De que maneira suas orações foram respondidas?

Um dia, antes de me filiar à Igreja, estava passando por um período difícil com um de meus filhos adotados. Estava refletindo muito, imaginando se talvez essa criança não necessitava de um lar diferente composto por pai e mãe. Algo me disse para sair e ir ao mercado. Depois de fazer compras, saí do mercado e estava me sentindo péssima. Não queria desistir daquela criança. Queria ficar com ele, mas estava preocupada se isso não era egoísmo meu e senão seria melhor para ele ter uma família diferente. Lembro-me de orar, pedir ajuda, chorar e ficar preocupada se eu teria mesmo de desistir daquela criança. Olhei em volta e vi dois missionários, como anjos em resposta à minha oração. Quando falaram comigo, senti paz e sabia que o Pai Celestial estava respondendo a minha oração por meio deles. Os missionários me ensinaram durante um ano e meio e nunca desistiram de mim. Depois de ir de igreja em igreja, finalmente filiei-me à Igreja. Não queria ser batizada até saber com certeza se era a coisa certa a fazer. Orei a respeito e foi assim que soube que era o certo a fazer naquela época de minha vida.

Como vivo minha fé

Vivo minha religião ao ensinar meus filhos. Ensino-os sobre fé, gratidão, serviço, oração, e como tratar as outras pessoas. Também tento ensinar pelo exemplo. Tenho cinco filhos adotivos, e sempre vamos à Igreja aos domingos. Participamos de todas as atividades da Igreja, mesmo durante a semana. Tento ensinar meus filhos seguindo as diretrizes de “A Família: Proclamação ao Mundo”.