mormon.org Brasil

Oi, eu sou Deon Davis

  • Deon Davis
  • Deon Davis
  • Deon Davis
  • Deon Davis
  • Deon Davis
  • Deon Davis
  • Deon Davis
  • Deon Davis

Sobre mim

Nasci em Mount Isa, Queensland, uma cidade mineradora no meio da Austrália, e frequento a Igreja desde os quatro anos, quando os missionários batizaram meus pais. Sou de uma família de oito irmãos e duas irmãs. Tive de suportar muita discriminação na escola e no trabalho devido à cor de minha pele e também devido a minha religião. Na juventude, concentrei-me muito nos esportes, como natação, rúgbi, softbol e basquete, mas já pratiquei muitos outros esportes. Servi como missionário da Igreja na Missão Auckland Nova Zelândia, de maio de 1988 a maio de 1990. Estou casado há 18 anos, tenho cinco lindas filhas e atualmente estou completando o mestrado em Saúde Pública. Trabalhei no sistema judiciário com os aborígenes e os ilhéus de Torres Strait, fui consultor jurídico comunitário, convocador judiciário juvenil, oficial de proteção à criança. Criei o primeiro guia de recursos para deficiências de Victoria em aborígene. Sou um embaixador fita branca, sou o presidente de um grupo regional de ação contra violência familiar e trabalho atualmente nos Serviços de Saúde para Aborígenes, com um serviço de saúde em Melbourne.

Por que sou mórmon?

Ser membro da Igreja é uma jornada física, emocional e espiritual. O fato de estar na Igreja desde os quatro anos tem sido muito recompensador. Quando eu era rapaz, tive de perguntar a mim mesmo por que eu estava indo à igreja, frequentando as atividades e acordando cedo para assistir às aulas do seminário. A força e a educação que recebi de minha família ajudaram a me manter nesse caminho. Os missionários desta grande Igreja inspiraram e influenciaram muitas de minhas razões para continuar ativo na Igreja. Nós os considerávamos como irmãos e irmãs quando éramos jovens. Mas só quando parti para minha missão na Nova Zelândia foi que precisei saber por mim mesmo se esta Igreja era verdadeira, e encontrei essa resposta quando cheguei à Nova Zelândia. Devo isso a três homens que na época eram missionários, que serviam em Mount Isa, pois sua influência e seus exemplos me motivaram a servir como missionário da Igreja. No decorrer de minha vida, tenho sido grato por muitos grandes homens e mulheres que me inspiraram com suas histórias e jornadas na Igreja. Para mim, a Igreja me tornou uma pessoa melhor. Honro o relacionamento que tenho com minha esposa e com minha filha, e o respeito pelas pessoas a meu redor, seja qual for sua nacionalidade, cor de pele ou deficiência. O propósito que tenho na vida não é apenas para esta Terra, mas para toda a eternidade. A doutrina da Igreja simboliza ordem e felicidade. Creio que todos deveriam entender e valorizar essa doutrina, porque ela já me fortaleceu diversas vezes na vida quando precisei tomar decisões. Perdi um irmão que teve Síndrome da Morte Súbita Infantil, mas terei a oportunidade maravilhosa de estar com ele novamente por causa desses ensinamentos.

Como vivo minha fé

Ao longo dos anos, tenho cumprido chamados de liderança, trabalhado com os rapazes, apoiado as famílias, visitado as pessoas e dado conselhos a elas. Meu envolvimento com a comunidade é uma extensão do que já faço em meus compromissos na Igreja. Sou muito fervoroso em apoiar as necessidades de meu povo. Os valores que considero valiosos devido aos exemplos de meus pais são os mesmos valores que aplico no trabalho que faço para minha comunidade. A ala em que eu e minha família estamos é como uma extensão da minha família, e apoiamos uns aos outros nos bons e emocionantes altos e baixos que ocorrem na vida das pessoas. Minha vida tem sido de serviço, uma qualidade que herdei de minha mãe e meu pai.