mormon.org Brasil

Oi, eu sou Bruno

  • Bruno Vasquez
  • Bruno Vasquez
  • Bruno Vasquez
  • Bruno Vasquez
  • Bruno Vasquez
  • Bruno Vasquez
  • Bruno Vasquez
  • Bruno Vasquez

Sobre mim

Nasci num belo país, a Guatemala, no centro das Américas. Acabei de completar 48 anos e tenho uma família maravilhosa. Nos últimos 28 anos de casados, minha esposa, Brenda, e eu criamos nossos quatro filhos (dois filhos e duas filhas); temos dois netos e um que vai nascer em abril de 2012. A maior parte da minha vida trabalhei como editor — 30 anos — sendo que oito anos foram para empresas importantes em meu país e 22 em minha própria empresa. Nos últimos quatro anos, tornei-me Personal Coach, ajudando pessoas — especialmente os jovens — a encontrar propósito na vida e a desenvolver seu potencial. Isso me levou a participar de importantes programas nacionais de rádio e televisão e a fazer apresentações em empresas e escolas. Adoro ler e aprender o tempo todo. E também, como todo bom latino, adoro dançar, ouvir música e jogar futebol, o que faço três vezes por semana.

Por que sou mórmon?

Quando eu tinha 10 anos de idade, ao ler a Bíblia, compreendi que, por meio de Abraão, Deus estabeleceu as 12 tribos de Israel, das quais 10 estão perdidas e uma é a tribo de Judá, mas minha preocupação era saber qual era a tribo que completava as 12. Fiz essa pergunta a muitas pessoas e ninguém conseguiu me responder. Anos mais tarde, conheci minha esposa, que já era membro da Igreja, mas eu nunca a deixava falar sobre esse assunto, mesmo quando ela ia à Igreja; eu só a levava lá, mas nunca queria conversar sobre religião. Como sempre gostei de futebol, os jovens adultos solteiros me convidaram para fazer parte no time deles, e comecei a ter amigos mórmons, o que me levou às missionárias, dando-me a oportunidade de ouvir sua mensagem e aceitá-la; quando elas me falaram sobre o Livro de Mórmon e sua origem, perguntei se se tratava daquela tribo que eu procurara sete anos antes. Meu coração foi tocado imediatamente e comecei a ler o livro com um desejo ávido. Levei 22 dias para lê-lo, e senti-me grato por saber que Jesus Cristo tinha feito um sacrifício por mim e por Seu evangelho ter sido restaurado na Terra. Senti o desejo de me unir a Sua Igreja pelo batismo. Minha vida mudou. Fui o primeiro da família; hoje, todos os meus familiares são membros e já estamos na terceira geração. Sei que Deus é o meu Pai e testifico que encontrei a verdadeira Igreja de Jesus Cristo, e hoje estou compartilhando isso com milhares de pessoas, com a certeza de que isso é verdade e testifico disso em nome de Jesus Cristo.

Histórias Pessoais

Compartilhe seus sentimentos sobre a Restauração do Evangelho ou compartilhe seu testemunho dela.

Os céus foram abertos novamente. A autoridade do Senhor foi dada ao homem outra vez. A autoridade, bem como Sua Igreja estão na Terra novamente, em preparação para a Segunda Vinda do Salvador. Joseph Smith foi um Profeta de DEUS. As ordenanças são uma manifestação de Seu poder e divindade, e hoje Sua Igreja é guiada por profetas, videntes e reveladores. Tenho a certeza e a esperança de viver com DEUS e ser participante de Suas belas bênçãos. Eu sou filho de Deus, e Ele me convida para ser aperfeiçoado por intermédio de Seu Filho, meu Redentor Jesus Cristo.

Como vivo minha fé

Sirvo na Igreja há mais de 30 anos e uma das experiências mais belas que já tive foi quando minha esposa e eu servimos no programa chamado “Especialmente para os Jovens” ou EFY, em 2010. Foram muitos meses de preparação para servir como diretores de sessão e durante uma semana inteira interagimos com mais de 740 jovens. Foi lindo vê-los chegar, envolverem-se em todas as atividades e participar dos devocionais. Nas aulas, parecia que todos eram nossos filhos, contribuindo com seus talentos e participando das danças. Na quinta, tivemos um devocional que tocou o coração de todos que participaram. Todos eles prestaram seu testemunho. Acho que choramos por mais de uma hora, e no dia em que eles se despediram uns dos outros, ninguém queria voltar para casa. Foi uma bela experiência. Foi muito bom ensiná-los. Foi ótimo interagir com eles. Depois de quase um ano, mantemos contato com a maioria desses jovens. Muitos pais viram mudanças em seus filhos, muitos pela primeira vez.