mormon.org Brasil

Oi, eu sou Brian

  • Brian Kershinik
  • Brian Kershinik
  • Brian Kershinik
  • Brian Kershinik
  • Brian Kershinik
  • Brian Kershinik
  • Brian Kershinik
  • Brian Kershinik

Sobre mim

Sou pintor. Pinto principalmente pessoas, mas não retratos. Tratam-se mais de pinturas estilizadas de pessoas. Amo minha família, amo meu trabalho, adoro música e viagens. Gosto muito de cães. Gosto muito de comida (especialmente tailandesa. Morei em Bangkok por cinco anos, quando criança). Tenho amigos incríveis, sem dúvida, amigos fantásticos. Não sou uma pessoa especialmente fácil de se conviver, mas amo e sou amado por meus familiares e amigos. Isso é uma coisa muito boa.

Por que sou mórmon?

Embora tenha encontrado muitas coisas belas e verdadeiras em praticamente todas as religiões que pesquisei, dei-me conta de que há uma obra redentora particular e vital em andamento e progredindo nas mãos dos santos dos últimos dias, sob a direção de Deus. Embora a Igreja e seus membros não sejam perfeitos, estou convencido de que esta obra é verdadeira e necessária, e que fui chamado e tenho a satisfação de participar dela. Creio que Jesus dirige essa obra de maneira especial e ativa e passei a conhecê-Lo e sentir Sua influência ao me envolver ativamente em Seu serviço, nas escrituras e nas ordenanças.

Histórias Pessoais

Quais bênçãos você tem recebido por meio da fé em Jesus Cristo?

Creio em Jesus Cristo, e que por meio de Sua vida e Expiação ofereceu-me uma vida muito rica neste mundo e vida eterna no mundo vindouro, onde serei necessário e útil, e minha felicidade será amadurecida e multiplicada. A fé nessas verdades e meu entendimento de Seu sofrimento em nosso favor na Expiação, embora eu não a compreenda plenamente, são um grande motivador para fazermos o bem, para sermos melhores, para participarmos de Sua obra de amar e servir aos outros o melhor que pudermos, e para participarmos no trabalho de conceder a outros a redenção que Ele nos ofereceu. Essa fé me motiva a ser um melhor marido e pai, um amigo melhor. Tenho um longo caminho a percorrer em cada categoria, mas tenho confiança em Sua graça e poder e em Seu deleite na bondade e em Sua confiança em mim.

Como vivo minha fé

Fé é viver. Se a fé não motivar a ação, bem, então não é fé. Espero que minha fé motive tudo o que eu fizer: trabalho, lazer, tanto os deleites quanto os tédios cotidianos, e também a adoração, tanto o tipo conscientemente significativo (orar, cantar, estudar, meditar), quanto o tipo surpreendente e inesperado (quando subitamente somos resgatados do perigo ou da frustração ou quando nos damos conta de algo indescritivelmente belo ou percebemos que independentemente de minha própria virtude ou intenção estou envolvido em algo planejado por Deus). Acho que o primeiro tipo de adoração me prepara para vivenciar e perceber o segundo tipo.